Papo de Pesca

Pesca Incentiva o Turismo

19 de abril de 2004

O esporte da pesca gera turismo em todo o mundo e cria novas frentes de trabalho, tornando mais fácil a vida de milhões de pessoas que vivem ligadas a essa área de atividade, especialmente na orla marítima e nas proximidades de nossas águas interiores.O Brasil precisa acordar para essa realidade, pois possuímos a maior malha… Ver artigo

O esporte da pesca gera turismo em todo o mundo e cria novas frentes de trabalho, tornando mais fácil a vida de milhões de pessoas que vivem ligadas a essa área de atividade, especialmente na orla marítima e nas proximidades de nossas águas interiores.
O Brasil precisa acordar para essa realidade, pois possuímos a maior malha hidrográfica do mundo e uma costa oceânica com mais de 8 mil quilômetros e mesmo assim somos os maiores importadores de peixes da América Latina.
Precisamos de estabelecer critérios para uma nova e atuante política de pesca, com um órgão  nacional para cuidar de todos os seus setores, levando-se em conta que em vários outros países existem até ministérios para tal finalidade.
Parece que começa a ser vislumbrada uma luz no fim do túnel, com a EMBRATUR, em parceria com O Ministério do Meio Ambiente, planificando projetos para o desenvolvimento da pesca, especialmente em nossos rios. Vamos torcer para que tudo dê certo, são essas as esperanças de todos aqueles que estão ligados ao setor pesqueiro.Recursos para a pesca
Existem no Brasil cerca de 15 milhões de pescadores amadores, porem menos de 5% pagam a taxa anual para exercer esse esporte em todo o território nacional. Se uma considerável parcela desses mesmos pescadores pagasse essa anuidade, em torno de 60 reais, teríamos recursos para desenvolver uma política de pesca moderna e eficiente, inclusive participando de medidas sérias e concretas de combate sistemático aos crimes ecológicos.


Torneios de pesca
Na semana da pátria, em setembro, acontecerão dois grandes torneios de pesca em Minas Gerais. Um será no rio São Francisco, na região da cidade de Pirapora, patrocinado pela Federação Mineira de Pesca e Desportos Subaquáticos e outros no clube Caiçara, também nas margens do velho Chico. Esses certames reúnem centenas de pescadores do primeiro time de MG, Brasília, Rio, São Paulo, Bahia e Espirito Santo.


Pantanal
Esse é o momento certo para uma pescaria no Pantanal do Mato Grosso, uma das mais belas regiões do Brasil. Vá até lá com seus companheiros ou com a família, viajando em seu automóvel ou nos ônibus de luxo em excursões organizadas por várias empresas de turismo. O programa é dos melhores…


“Expert” em pesca
José Ubirajara de Souza Timm foi presidente da extinta SUDEPE, onde realizou um magnífico trabalho, com ótimos resultados, incentivando a pesca esportiva, artesanal e científica e promovendo o repovoamento de nossos rios, incentivando a piscicultura em todos os níveis. O  boa-praça Timm está atualmente no setor de pesca do Ministério da Agricultura, sempre torcendo para que a esperada nova política de pesca se transforme em realidade. O governo precisa reconvocá-lo para atuar nas atividades pesqueiras, pois ele é, sem dúvida, a maior autoridade no assunto.


Cáceres
No mês de setembro acontece o Festival de Pesca de Cáceres, o maior torneio do mundo, com centenas de barcos e milhares de pescadores participando. Esse torneio já está registrado no Livro dos Recordes e vai movimentar o Mato Grosso, sendo considerada uma iniciativa ecológica, pois uma de suas principais metas é a preservação dos peixes brasileiros. Pescar, sim, mas nada de predações. E o máximo de respeito ao meio ambiente.


Lei de pesca
Mesmo enfrentando as dificuldades de inicio começa a ser cumprida a nova lei de pesca mineira, em vigor através da diretoria de pesca do Instituto Estadual de Florestas de Minas Gerais. Tudo vem sendo elaborado para que em futuro próximo  melhore nesse Estado a pesca, com o repovoamento dos rios, recuperação das matas ciliares e ponha-se um fim nos poluidores de águas e naqueles que praticam a captura das espécies de uma maneira fora da lei. Com trabalho e dignidade chegaremos lá…


Bacia do Paraná
A Bacia do Prata tem origem em Minas, sendo formada pelos rios Grande (divide MG de São Paulo) e Paranaíba (divide Minas e Goiás). Nesses dois rios ainda ocorrem bons peixes que fazem a alegria do pescadores.


História das Três Marias
Três Marias, em MG, nasceu com a inauguração da represa da CEMIG, no rio São Francisco. E para contar como tudo aconteceu Zaquia José Daura Resende escreveu o livro “História das Três Marias”, já na quarta edição e que agora poderá se transformar em filme, numa produção de conhecidos cineastas brasileiros.


Iscas
FUm tambaqui de 22 quilos foi apanhado por um pescador no rio são Francisco, norte de Minas. Esse peixe deveria estar sendo criado em alguma lagoa de fazenda e com a chuva passou para o rio. Viveu normalmente e chegou a esse peso.
FA carteira do pescador amador em Minas custa, em média, 20 reais, valendo por um ano e cerca de 60 mil já foram expedidas. O IEF espera atingir o número de 400 mil, que será um recorde nacional.
FCresce e muito o número de pescadores de todo o país que chega ao vale do rio Araguaia. A maioria acampa e uns poucos se hospedam em hotéis e pousadas.


Correspondência para essa coluna:
Rua Nivaldo Correa, 260 – bairro Jaraguá,
31270-450 – Belo Horizonte, MG

Papo de Pesca

Pescador, respeite a piracema

14 de abril de 2004

O pescador brasileiro ainda está muito longe de proceder como um verdadeiro defensor de nossos rios, seus peixes e matas ciliares. É preciso uma conscientização maior, não podemos esperar que todos fiquem aguardando o que mandam as leis, mas tomar iniciativas próprias. Aquele que vai para o sertão em busca de momentos de tranquilidade às… Ver artigo

O pescador brasileiro ainda está muito longe de proceder como um verdadeiro defensor de nossos rios, seus peixes e matas ciliares. É preciso uma conscientização maior, não podemos esperar que todos fiquem aguardando o que mandam as leis, mas tomar iniciativas próprias. Aquele que vai para o sertão em busca de momentos de tranquilidade às margens de nossos rios, deve devolver ao rio os peixes em idade infantil, nada de mata-los na piracema, usar redes e tarrafas e levar para casa somente a quantidade necessária para sua família.
Pescar é um esporte saudável, muito bom para o corpo e o espírito, pois como é agradável bater um papo com os barranqueiros, deitar numa rede, armada na sombra de uma árvore e dentro do barco, à noite, conversar com as estrelas.
Vamos pescar, com os amigos ou com a família, mas sabendo que é nosso dever não agredir a natureza, mas defendê-la, denunciando os infratores, responsáveis diretos pela destruição dos rios.
Há urgente necessidade de união entre os pescadores, os ambientalistas e o poder público para que sejam tomadas medidas salutares e efetivas para a recuperação dos caudais, vítimas implacáveis dos crimes ecológicos e da desenfreada pesca predatória.


Torneios
Na semana da pátria foram realizados dois grandes torneios de pesca no rio São Francisco, com a participação de centenas de pescadores. Um em Pirapora, patrocinado pela Federação Mineira de Pesca e Desportos Subaquáticos e outro em Buritizeiro, na Cachoeira do Manteiga é do Manteiga. Duas grandes festas de confraternização dos esportistas do caniço, com prêmios e troféus para os vencedores. Em Buritizeiro o evento foi na sede campestre do clube Caiçara, uma das mais completas agremiações do Brasil.


Pesca no Pantanal e Araguaia
A partir de novembro, até fins de janeiro do ano 2.000, a pesca amadora está proibida nos rios do Mato Grosso e no vale do Araguaia. Nessas regiões a pesca com redes, tarrafas e qualquer petrecho de malha, estão terminantemente proibidos durante todo o ano. Os profissionais pescam com anzol e trabalham nos hotéis ribeirinhos, são piloteiros dos amadores e já começam a integrar equipes em projetos de piscicultura.


Pescadores Brasilienses
Sei que os pescadores de Brasília, quando podem, vão pescar nos rios do Mato Grosso e de Goiás, mas quando o tempo é curto uma boa opção é o rio Paracatu, pertinho da capital federal. Nos seus pesqueiros ainda ocorrem bons peixes, como dourados, surubis, matrinchás, piaus, traíras e outros. Se você conhece algum sócio do Brazilia Country Club, que tem bela sede às margens do Paracatu, conseguirá um convite para lá se hospedar. Vá que é uma boa…


Pesque e Pague
Vem aumentando e muito o número de pesque e pague em todo o país, com muitos deles oferecendo condições para o pescador hospedar-se com seus filhos em chalés confortáveis, com ar condicionado, telefone e frigo bar. Isso sem falar em restaurante, quadras esportivas, charrete, cavalos e trilhas para passeios ecológicos. E também, é claro, peixes em seus tanques ou açudes, para alegria da meninada.


Os Alienígenas
Nas águas interiores brasileiras já são encontrados, em boa quantidade, espécies de peixes da região amazônica, como o tucunaré, tambaqui e caranha. Os biólogos, em sua maioria, não gostam do que vem acontecendo, mas os pescadores ficam satisfeitos quando fisgam um desses peixes “alienígenas”. Em Três Marias, MG, como em outros reservatórios de hidrelétricas os tucunarés estão vivendo e se proliferando em ritmo crescente. Eu agora pergunto: represas sem nenhum peixe ou com milhares de outras regiões, todos eles de carne saborosa? Qual é sua opinião?

Papo de Pesca

Secretaria da Pesca

12 de abril de 2004

O deputado federal mineiro, Ronaldo Vasconcellos (PSDB), enviou sugestão ao Ministro da Agricultura para que seja criada a Secretaria  Nacional de Pesca e Agricultura, órgão que viria para administrar o abandonado setor pesqueiro no mar e nas águas interiores brasileiras.Vasconcellos esclarece que após a extinção da SUDEPE, em 1989, a pesca passou para o IBAMA… Ver artigo

O deputado federal mineiro, Ronaldo Vasconcellos (PSDB), enviou sugestão ao Ministro da Agricultura para que seja criada a Secretaria  Nacional de Pesca e Agricultura, órgão que viria para administrar o abandonado setor pesqueiro no mar e nas águas interiores brasileiras.
Vasconcellos esclarece que após a extinção da SUDEPE, em 1989, a pesca passou para o IBAMA e ficou inteiramente sem apoio do governo, pois esse órgão federal, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, não está devidamente aparelhado para cumprir essa importante missão.
Pesca gera alimento nobre para milhões de pessoas, é esporte para outros 15 milhões de brasileiros e assim incentiva o turismo em nossos rios e na costa oceânica, e sempre está enviando novos empregos.
O Brasil precisa implantar em todo o território nacional uma nova e atuante política de pesca e ela poderá acontecer somente com a instalação de um mecanismo público específico para tal finalidade.
Para justificar a Secretaria da Pesca o deputado Ronaldo Vasconcellos lembra que em vários outros países, inclusive na América do Sul, existem até ministérios para incentivar a pesca e aqui, nessa área, está tudo parado no tempo, conseguindo apenas 0,5% da produção mundial de pescado. Isso vem acontecendo mesmo sabendo que possuímos uma costa marítima de mais de 8 mil quilômetros de extensão e a maior malha hidrográfica do mundo.


As Barragens


A construção de barragens junto às hidrelétricas é um dos principais fatores que vem contribuindo para o desaparecimento dos peixes, impedindo sua subida pelos rios em busca de águas em melhores condições para a procriação das espécies. Em Minas existe uma lei obrigando essas empresas a construir meios para a subida dos peixes: escadas ou canais de transposição. Isso precisa acontecer em todo o Brasil. A CEMIG, naquele estado, está planejando construções para cumprir essa lei em todas suas 4 dezenas de usinas geradoras de energia elétrica.


Fiscalização & Conscientização


A fiscalização para impedir a ação dos predadores de nossos rios e florestas é praticamente inexistente em todo o país. Também aí é importante a criação da Secretaria Nacional da Pesca, pois arrecadando milhões de reais dos pescadores amadores, o órgão teria condições de ampliar um funcional sistema para evitar crimes contra os rios, suas matas ciliares e acabar com a pesca predatória nos rios e no oceano. Precisamos de uma fiscalização ampla, porém não esquecendo que uma nova conscientização deve surgir em todos os segmentos da sociedade, desde os pescadores até os grandes empresários que teimam em poluir os rios não construindo equipamentos anti-poluentes. Vamos acelerar o desenvolvimento, minha gente, mas todos precisam saber que é possível progredir sem poluir, com mais um pouco de boa vontade e respeito à natureza.


Correspondência:
Rua Nivaldo Correa, 260, bairro Jaraguá, 31270-450, Belo Horizonte, MG – Telefone (31) 443-6973 e fax (31) 491-8222

Papo de Pesca

Lei Ambiental

7 de abril de 2004

A nova lei federal do meio ambiente já está em pleno vigor, porem prosseguem os crimes ecológicos como a poluição de águas e a destruição de nossas matas ciliares. Ainda não tive notícia de aplicação da mesma em alguma indústria que envenena os rios, utilizando suas águas sem nada pagar. É preciso que os órgãos… Ver artigo

A nova lei federal do meio ambiente já está em pleno vigor, porem prosseguem os crimes ecológicos como a poluição de águas e a destruição de nossas matas ciliares. Ainda não tive notícia de aplicação da mesma em alguma indústria que envenena os rios, utilizando suas águas sem nada pagar.
É preciso que os órgãos federais e estaduais que são responsáveis pela proteção de nossos recursos naturais, aliados ao ministério público, tomem coragem e punam esses criminosos de verdade.
Um pobre barranqueiro do rio São Francisco, desempregado, com mulher e oito filhos, já desesperado, saiu com sua espingardinha cartucheira e matou uma paca para alimentar sua família. Os fiscais chegaram na hora e no flagrante o homem foi multado, a caça apreendida e ele ainda preso. Enquanto isso, do outro lado do rio, uma poderosa indústria matava peixes às toneladas, com seus detritos e não era molestada pele fiscalização.
Afinal a lei não é igual para todos?
Espero, pois sou otimista, ver um dia essa gente que teima em destruir tudo se conscientizar que não devemos agredir a natureza.
Estamos no alvorecer de um novo século e um novo milênio, já passou da hora do homem parar e pensar que é burrice destruir a nossa própria morada. Agora, colocar isso na cabeça de nossos empresários e do próprio governo é uma missão quase impossível.

Piracema
É tempo de piracema, com os peixes procriando nos rios brasileiros. O verdadeiro esportista da pesca deve guardar sua tralha e esperar pelo mês de fevereiro do próximo ano. Não tomem conhecimento se no seu estado é ou não proibido pescar, pois nessa área, nossas leis são conflitantes e são elaboradas por técnicos de gabinetes que só conhecem peixe quando vão a um restaurante.

Pantanal
No pantanal do Mato Grosso está proibida a pesca amadora e profissional durante a piracema, medida que considero acertada. Somente assim os peixes podem se multiplicar sem que sejam perseguidos por redes, tarrafas e anzóis. Isso, entretanto, não impede que você vá até lá para um maravilhoso passeio de barco, se deliciando com aquela região repleta de aves, pássaros e animais silvestres.

Lei Estadual
Em vigor a lei de pesca estadual em Minas Gerais, executada pela diretoria de pesca do Instituto Estadual de Florestas, que tem à frente o Carlos Augusto da Silva, que conhece  e muito bem os rios mineiros.
Nos seus planos estão a execução de projetos de piscicultura, o repovoamento de rios e a intensificação da fiscalização, em convênio com a Polícia Florestal. O IEF já expediu cerca de 100 mil carteiras de pescadores amadores, que pagam uma taxa anual e esses recursos são totalmente destinados para ordenar o setor pesqueiro e salvar os rios de Minas.

O Dourado
Por sua valentia, sua cores e agilidade, isso sem falar na carne saborosa, considero o dourado o rei dos rios. Os maiores, dessa espécie, são encontrados no rio São Francisco. Eu mesmo sou testemunha de um dourado que atingiu 35 quilos, malhado na rede do pescador profissional Chico Relógio, em Três Marias, MG, peixe assim só em fotos ou na memória de pescadores e barranqueiros do velho Chico.

Transposição do São Francisco

25 de março de 2004

Foi formada uma comissão, no Congresso Nacional, para elaborar um projeto de transposição das águas do rio São Francisco, para irrigação do nordeste brasileiro. Até agora não ouvi de nenhum de seus membros sugestões sobre o trecho mais importante desse rio, que nasce em Minas Gerais e que vai da serra da Canastra até a… Ver artigo

Foi formada uma comissão, no Congresso Nacional, para elaborar um projeto de transposição das águas do rio São Francisco, para irrigação do nordeste brasileiro. Até agora não ouvi de nenhum de seus membros sugestões sobre o trecho mais importante desse rio, que nasce em Minas Gerais e que vai da serra da Canastra até a divisa com a Bahia. Minas lança em seu leito 70% de todo o seu volume de água e esse projeto não vingará jamais se providências urgentes não forem tomadas para proteção de sua nascente e de suas matas de topo e ciliares. O São Francisco, nos últimos 50 anos vem definhando em conseqüência desses crimes ecológicos, transformando-se numa cloaca, com a poluição e suas margens em verdadeiros e silenciosos desertos.
Fica aqui essa advertência para aqueles que são responsáveis por esse projeto, que bem elaborado, poderá resolver em parte os problemas de nossos irmãos daquela sofrida região brasileira.


30 anos de coluna


Minha coluna “No Mundo da Pesca”, publicada há 30 anos no jornal Estado de Minas, de BH, em todo esse tempo vem divulgando a pesca amadora e artesanal, sempre participando de todos os movimentos em defesa de nossos rios e florestas. Esse acontecimento será comemorado com um grande jantar dos pescadores, com 2.000 convidados, quando serão homenageados os Destaques da Pesca e os Defensores da Natureza, selecionados por uma comissão de alto nível.



Depois da Piracema


Como acabou o período da piracema os pescadores esportivos voltam aos nossos rios em busca de dourados, surubi, pirarucus, piaus, pirás e outros grandes peixes dos rios brasileiros. Mas jamais esqueça de devolver ao rio os peixes fora de tabela e não leve para casa excesso de pescado, mas apenas o que for consumido por você e sua família. Assim procedem aqueles que respeitam a natureza.



Piscicultura


Acredito que somente através da piscicultura, com a criação de peixes em cativeiro, poderemos recuperar o estoque de pescado no Brasil. Precisamos criar a Secretaria Nacional de Pesca, vinculada ao Ministério da Agricultura ou Meio Ambiente, mas que seja um órgão específico e bem aparelhado para incentivar projetos  nessa área. Piscicultura dá dinheiro, porém os fazendeiros, especialmente eles, precisam de orientação técnica, financiamento e alevinos de várias espécies. Enquanto em outros países existem até ministérios para administrar a pesca, no Brasil essa fonte de alimento está inteiramente abandonada.


Correspondência:
Rua Nivaldo Correa, 260, bairro Jaraguá, 31270-450, Belo Horizonte, MG
Telefone (31) 443-6973 e fax (31) 491-8222

Papo de Pesca

Tempo de preservar

22 de março de 2004

      Passou o tempo da piracema e os pescadores retornam aos nossos rios em busca de dourados, surubis, pirararas, pacus, pintados, tucunarés, jaús, piaus e muitos outros peixes que ocorrem nas bacias hidrográficas brasileiras. Vamos voltar a pescar, mas sempre proceder como esportistas conscientes, jamais pensando em encher freezers e fisgar espécies na… Ver artigo







 




 



 

Passou o tempo da piracema e os pescadores retornam aos nossos rios em busca de dourados, surubis, pirararas, pacus, pintados, tucunarés, jaús, piaus e muitos outros peixes que ocorrem nas bacias hidrográficas brasileiras. Vamos voltar a pescar, mas sempre proceder como esportistas conscientes, jamais pensando em encher freezers e fisgar espécies na idade infantil. Devolva ao rio os filhotes, para que eles cresçam e apareçam, nada de depredações. Vamos fazer nossa parte e permanecer unidos na luta contra aqueles que teimam em prosseguir destruindo a natureza, poluindo as águas dos rios e acabando com suas florestas ciliares.


Onde Pescar


Minas ainda oferece algumas condições para a pesca, mas apenas nas bacias dos rios São Francisco, Grande e Paranaiba, pois já foram inteiramente arrasadas pelos crimes ecológicos. O Brasil, entretanto, oferece ótimos roteiros para os pescadores, destacando-se as centenas de pesqueiros no Mato Grosso, com seu imenso e rico Pantanal; o vale do Araguaia, com suas praias de areia branca e a imensa Amazônia, um cenário que encanta todo o mundo. Em aviões, no seu carro ou mesmo em ônibus consiga alguns dias de folga e parta para o sertão brasileiro, onde poderá respirar ar puro, sentir o cheiro das matas e conversar com o nosso homem do campo, ouvindo o som de sua viola e seu papo puro e simples. Tudo isso é muito bom para o corpo e o espírito.


Secretaria da Pesca


Em muitos países do mundo existem até ministérios para cuidar das atividades da pesca e no Brasil, com uma costa oceânica de mais de 8 mil km de extensão e a maior malha hidrográfica do mundo, a administração desse importante setor está entregue a uma das diretorias do IBAMA, órgão que foi criado com a principal finalidade de defender o meio ambiente. Tivemos a Superintendência do Desenvolvimento da Pesca (SUDEPE), que atuou mais de 30 anos e foi, inexplicavelmente, extinta em 1989. Daí para cá a pesca ficou inteiramente abandonada no país e por isso mesmo os pescadores defendem a tese da criação da Secretaria Nacional da Pesca e Aquicultura para uma solução definitiva desse problema. Vou reunir um grupo de pescadores e iremos até o mineiro Aécio Neves, presidente da Câmara de Deputados, solicitar que ele nos ajude nessa empreitada. Aguardem notícias.


Rio Paracatu


O rio Paracatu é uma boa opção de pesca para mineiros e brasilienses, onde ainda se encontram bons dourados e surubis. Vale a pena ir até lá acampando em suas margens, com matas frondosas. Leve barraca, barco com motor de popa e toda aquela tralha indispensável e passe dias agradáveis nesse rio, pertinho de Brasília.


Os Tucunarés


Os tucunarés prosseguem invadindo as águas interiores brasileiras, especial aquelas dos grandes reservatórios das hidrelétricas, lagoas, açudes e nos “pesque e pague” espalhados por todo o Brasil. Alguns biólogos são inteiramente contra a introdução de espécies nativas de outras bacias, mas acontece que esse peixe chegou para ficar, pois acabar com ele, na atualidade, é praticamente impossível. Em Minas, por exemplo, os dois maiores reservatórios, Furnas e Três Marias, estavam com seu estoque pesqueiro no nível zero e agora lá o pescador encontra o tucunaré, peixe de carne saborosa, esportivo por excelência. É um predador, eu sei, mas antes ele que nenhum outro naquela imensidão de água.


Pantanal


A imprensa noticiou, com destaque, a transformação do Pantanal do Mato Grosso, numa reserva natural do Patrimônio da Humanidade. E para isto está para chegar cerca de 400 milhões de dólares, recursos que serão destinados à execução de inúmeros projetos para proteger aquela área maravilhosa. Será que esse dinheiro vem mesmo e será bem aplicado no desenvolvimento sustentável? Vamos aguardar os acontecimentos e ficar torcendo para que essa notícia não fique apenas em mais uma promessa, como muitas vezes já aconteceu.


Cartas para esta coluna devem ser enviadas para a rua Nivaldo Correa, 260 – bairro Jaraguá
CEP: 31270-450 – TeleFax: (31) 491-8222 – Belo Horizonte/MG