Municipalização do Turismo

PNMT: divisor de águas no turismo brasileiro

4 de março de 2004

VI Encontro do PNMT, realizado em Brasília, mostra revolução silenciosa que está profissionalizando o turismo brasileiro


Caio Carvalho: Turista quer ir
 além da contemplação. Se ele 
entra num museu não se satisfaz 
em ver um belo quadro, ele quer 
saber a história do quadro, a 
história do pintor e até a 
circunstâncias em que foi pintado.

A receita não podia ser melhor: valorização do município com a mobilização de todas as forças para promover o turismo local. E o primeiro passo foi dado há seis anos quando o presidente da Embratur, Caio Luiz de Carvalho, criou o Programa Nacional de Municipalização do Turismo para mudar de vez a consciência empresarial dos municípios que tinham potencial turístico. "Sol, rio, praia e céu azul existem em muitos e muitos lugares. O que é preciso é vender bem o sol, fazer da praia um bom diferencial e agregar muita qualidade, muito profissionalismo e muita competência para mais do que encantar, arrebatar incondicionalmente o turista", se empolga Caio Carvalho ao ver tantos estandes e tanto progresso nesses seis anos de PNMT. Na verdade, quem compareceu ao Centro de Convenções de Brasília, dos dias 11 a 13 de agosto, e percorreu cada estande dos 27 estados participantes e dos quase 400 municípios presentes, pode sentir a força desse setor que é responsável por 5 milhões de empregos diretos, que movimenta nada menos de R$ 20 bilhões de reais/ano e possibilita que 32,2 milhões de brasileiros conheçam e curtam cada ponto bonito desse país. Não é à toa que o turismo é a indústria da paz! 


Ministro Carlos Melles: Não 
há cidade nesse país que não 
tenha algo de bom para mostrar, 
para atrair turistas e assim gerar 
empregos e renda. Basta querer,
aprender e fazer. As ferramentas 
para ensinar o PNMT dá.

Orgulho de cada um mostrar suas belezas

Na abertura do Encontro, o Ministro Carlos Melles – como ex-pesquisador da Embrapa e profundo conhecedor da realidade do campo – falou do valor que o governo dá ao município que é, em primeira instância, a ponta da cadeia de ações para o desenvolvimento e sustentabilidade do turismo. "É o município que recebe os impactos negativos e positivos da indústria turística, por isso precisamos fortalecer os municípios de uma adequada estrutura institucional, operacional e gerencial. Nosso desafio – salientou o ministro Melles – é poder provocar em cada cidadão brasileiro, o orgulho de poder mostrar as belezas e as histórias de seu município"

As metas da Embratur para 2003

  • Aumentar para 6,5 milhões o fluxo de turistas estrangeiros

  • Aumentar em 57 milhões o fluxo de turistas nacionais

  • Elevar para US$ 5,5 bilhões a receita cambial turística


    O estande da Embratur, logo na entrada do Pavilhão, 
    mostrava que o Brasil é uma festa, uma aventura, um 
    paraíso de muitos sabores

  • Gerar 500 mil novos empregos


Minas Gerais trouxe um estande muito bonito com
informações das cidades históricas e do Trem das
 Águas, recentemente inaugurado na estância
hidromineral de São Lourenço

 


Tocantins: artesanato para exportação

Diversidade e beleza de paisagens e produtos de Tocantins são destaques no VI Encontro do PNMT

Isabel Campelo


Malba Aguiar, consultora de artesanato do PNMT,
 mostrava no estande Artesanato do Brasil a importância 
e a maravilha de uma arte nascida da necessidade, 
pois muitas famílias sobrevivem do barro, da madeira
 e do ferro. Com mãos habilidosas eles vão
 transformando riquezas brutas em peças de extrema 
beleza, defendendo o sustento 
de cada dia

Quem participou do VI Encontro Nacional do Programa Nacional de Municipalização do Turismo encontrou um Brasil rico em ritmo, paisagens, texturas, cores e sabores. Em meio à fartura da matéria prima tropical, o Tocantins se destacou pela novidade na divulgação das belezas naturais e de produtos artesanais. No local, oito peças de seis municípios, Palmas, Araguacema, Araguaína, Gurupi, Peixe, Itaguatins, foram selecionadas para exportação, através de incentivos do Sebrae. Bem visitado, o estande do Estado divulgou o potencial de 51 municípios hoje engajados no Programa. 

Ao lado de belos painéis e vídeos, enfocando as belezas naturais do Estado, as peças de cerâmica em cores fortes, imitando animais e costumes da vida dos Karajá, índios moradores da Ilha do Bananal, foram as mais procuradas. Também da Ilha, os índios Javaé levaram o colorido natural de colares, pulseiras e brincos. Os artigos em palha de buriti, confeccionados pelos índios Xerente, de Tocantínia, demonstraram a praticidade do artesanato de cestos e redes. Doces e licores finos de frutas regionais, além de peças exclusivas em ouro e prata contaram um pouco da histórica Natividade, a cidade mais antiga do Estado. 


A delicadeza do trabalho da artesã Maviniê Mota, uma 
cearense que administra o Grupo de Produção de Areia 
Colorida do Ceará e no estande de seu estado encantava
  os visitantes com as paisagens de areia que íam surgindo
dentro das pequenas garrafas e vidros

Incentivo

Além de servir como vitrine, o evento reflete o incentivo que o PNMT tem dado aos municípios para o desenvolvimento sustentado do turismo como fonte de geração de renda e lazer. É através do Programa que cresce o debate sobre o turismo envolvendo temas como preservação ambiental, história, cultura e artesanato etc. A parceria com entidades governamentais e não-governamentais resulta na qualificação de agentes multiplicadores de informações, candidatos de cada comunidade que passam por oficinas de treinamento desenvolvidas em 03 estágios. A 1º fase para conscientizar o candidato a monitor sobre a importância do turismo para a comunidade; a 2º fase para capacitar agentes e monitores e promover a criação de conselhos municipais, e a 3º fase (dividida em 3 passos) para elaboração de planos estratégicos de desenvolvimento regional. Lajeado, Araguacema, Pau D'Arco, Itaguatins, Araguatins, Natividade e Ponte Alta são os municípios que já realizaram as oficinas de 3º fase e já estão definindo as áreas de atuação.


Natal, com suas rendas, dunas, praias e promessa de sol 
o ano inteiro trouxe um estande muito visitado pelos 
participantes do Encontro do PNMT

A Feira dos Estados

Há seis anos a Embratur realiza o encontro nacional do PNMT e tanto o brasiliense que vai visitar a Feira como quem chega a Brasília vindo de todos os quadrantes do Brasil perceberam uma realidade: pela música, pelo folclore, pelo artesanato, enfim, pela beleza da Mostra, os Encontros do PNMT bem que poderiam chamar de Festa dos Estados. 


As tradições gaúchas e um chimarrão amigo estavam 
presentes no estande do Rio Grande do Sul que tinha 
também uma boa variedade de artesanato

 

 

 

 

Imagina que nos 4 dias do Encontro, 650 artistas de 27 grupos folclóricos mostraram a diversidade cultural dos mais variados ritmos de cada região brasileira. Artesãos expõem suas peças, rendeiras trazem seus trabalhos e posters, folders fazem um grande painel de praias, rios, grutas e recantos de dar água na boca.

 

 


Católica dá curso de Turismo pela Internet 


Ana Forte explica que o curso completo custa 
R$ 1.983,60, mas há três formas de pagamento

O Turismo vem, nas últimas décadas, ocupando lugar de destaque no cenário mundial devido a resposta imediata que a atividade proporciona na geração de empregos e renda no cenário de desenvolvimento econômico e social. Para Ana Maria Siems Forte, Coordenadora do MBA em Turismo da Católica Virtual, "hoje, em um mundo globalizado e altamente competitivo, em que a tecnologia encurtou as distâncias e os meios de comunicação disponibilizam dados em tempo real, somente com profissionalismo será possível garantir a qualidade de produtos e serviços turísticos disponíveis ao mercado".

Assim, a Universidade Católica de Brasília apresentou um estande no Encontro do PNMT, oferecendo o curso de especialização lato-sensu MBA em Turismo-Planejamento, Gestão e Marketing, na modalidade de Educação a Distância. 

Segundo Ana Maria Fortes o curso está estruturado em eixos temáticos que abrangem os diversos aspectos da atividade turística. E contempla seus conceitos, as singularidades da oferta e as diversidades da demanda de forma a garantir a sustentabilidade do setor e a satisfação das expectativas dos turistas. O curso aborda as técnicas e o instrumental do planejamento turístico, as ações relacionadas com a gestão de empresas e de destinos e o marketing – fundamental para um posicionamento favorável no mercado nacional e internacional.

O mercado de trabalho do setor apresenta-se cada vez mais exigente e em busca de profissionais qualificados para atuarem de forma a diferenciar as empresas e os destinos dos seus competidores e por isso, este curso vem proporcionar a oportunidade de destacar os atuais profissionais graduados em turismo e oferecer novos rumos para aqueles com graduação em outras áreas de conhecimento.

Mais informações:
Fone: (61) 3569319
turismo@ucb.br