Boca no Trombone!

Cadê o lago que tava aqui…

22 de outubro de 2008

Brasília assiste ao assoreamento do lago Paranoá

Salvem o lago Paranoá!


O maior patrimônio da nossa Capital, o lago Paranoá, vem sofrendo constante assoreamento. Isto causou uma redução do seu tamanho, nos últimos anos, do equivalente à 50 campos de futebol. A área entre a QL 02 até a QL 06, do Lago Sul, já secou. A terra, o lixo e a vegetação estão onde deveria ter água. A continuar esse assoreamento no ritmo que está, num prazo máxi. Os moradores do Lago Sul, indignados, resolveram fazer um protesto colocando um “Outdoor” no meio do lago, entre as QL 06 e a estação de tratamento da CAESB. Contando com a colaboração destes órgãos competentes para que possam tomar medidas imediatas para resolver esse problema, conforme pode ser comprovado com fotos do local.
Uma outra reivindicação tão forte quanto esta é a questão do mau cheiro que exala da Usina de Tratamento do Lago Sul.  Há muito a Caesb vem anunciando que tem tecnologia para acabar com o mau cheiro. Mas, se a tecnologia existe, o mau cheiro persiste.


Juliana Rodrigues – Brasília – DF
juliangela_rodrigues@yahoo.com.br


 


O Lago Paranoá foi formado a partido do fechamento da barragem do rio Paranoá, em 1959, represando águas do Riacho Fundo, do Ribeirão do Gama e do Córrego Cabeça de Veado, ao Sul, e do Ribeirão do Torto e do Córrego Bananal, ao Norte, além de pequenos tribuários que formavam belas cachoeiras que desciam rumo ao rio São Bartolomeu. Foram necessárias duas temporadas de chuvas para que o lago atingisse a cota prevista de 1.000 metros acima do nível do mar. O lago recebe águas de drenagem pluviais urbanas e dos efluentes de duas usinas de tratamento de esgotos, as ETEs Sul e Norte.


O Paranoá é um lago artificial, construído pelo presidente Juscelino Kubitschek com objetivo de proporcionar lazer, produzir energia e, sobretudo, aumentar a umidade em Brasília. O lago é formado pelas águas represadas do riberão Paranoá, e tem 37,50 quilômetros quadrados de extensão, profundidade máxima de 38 metros e cerca de 111quilômetros de perímetro, com algumas praias artificiais, como a “Prainha” e o “Piscinão do Lago Norte”.  Existem quatro pontes sobre o lago: ponte das Garças (Gilberto Salomão), ponte Costa e Silva, a ponte JK e a ponte do Bragueto, no lago norte.