Política Ambiental

Filosofia do PT no

8 de agosto de 2005

Tilden quer mobilizar sociedade em defesa do meio ambiente

O novo secretário de Meio Ambiente de Minas Gerais, Tilden Santiago promete fazer um planejamento estratégico que norteará as ações gerais do meio ambiente no estado, a partir da análise da estrutura administrativa da própria secretaria e dos três órgãos que desenvolvem os trabalhos oficiais do setor – Instituto Estadual de Florestas/IEF; Fundação Estadual do Meio Ambiente/Feam e Instituto Mineiro de Gestão das Águas/IGAM. 


Tilden Santiago promete também unificar os trabalhos do IEF, Feam e IGAM nos 853 municípios de Minas Gerais para resultados mais efetivos de sua atuação em relação ao meio ambiente nas diversas regiões do estado.
Por fim, o ex-deputado federal pelo PT buscará implantar uma medida que, segundo ele, representa a filosofia do Partido dos Trabalhadores e que, possivelmente, nenhum outro secretário estadual do meio ambiente do país, já fez ou se propõe a fazer:  uma mobilização social  e popular que envolva o respeito à causa ecológica e ao meio ambiente em Minas Gerais. “Um secretário do PT tem a função de mobilizar social e popularmente esta causa porque o que se vê hoje é o envolvimento da classe média nestas questões”, disse Tilden Santiago.


Tilden Santiago vê o estágio ecológico brasileiro ainda ‘engatinhando’ em relação a países como a Alemanha, por exemplo, apesar dos avanços já obtidos. No entanto, o secretário diz entender este quadro, já que, de uma maneira geral, a população é obrigada a se preocupar com o seu difícil dia a dia e sua sobrevivência, o que impede o crescimento da preocupação ecológica e faz com que o assunto pareça uma questão secundária.


Perfil
Tilden Santiago
58 anos, foi eleito deputado federal por três mandatos consecutivos pelo PT mineiro. No final da década de 70 iniciou-se como jornalista, trabalhando no Diário do Comércio. Formou-se em filosofia, tornou-se professor da Universidade Federal de Minas Gerais. Foi presidente do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais , dirigente da Federação Nacional dos Jornalistas e fundador da Central Única dos Trabalhadores. Ele é o autor da lei que aumentou de três para oito anos o período de inelegibilidade dos político acusados de corrupção.

Legislação Ambiental

PT cria banco de projetos para meio ambiente

15 de dezembro de 2003

Chico Floresta (PT-DF), secretárioNacional de Meio Ambiente do PT, fala durante oII Encontro de Vereadores e anuncia o cadastro deprojetos de lei na área socioambiental. No II Encontro Nacional de Vereadores e Deputados Estaduais do PT, ocorrido em Brasília, todas as secretarias do partido tiveram a oportunidade de conversar com os 1.067 parlamentares que participaram… Ver artigo


Chico Floresta (PT-DF), secretário
Nacional de Meio Ambiente do PT, fala durante o
II Encontro de Vereadores e anuncia o cadastro de
projetos de lei na área socioambiental.


No II Encontro Nacional de Vereadores e Deputados Estaduais do PT, ocorrido em Brasília, todas as secretarias do partido tiveram a oportunidade de conversar com os 1.067 parlamentares que participaram do evento. Na vez da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento do PT, mais de 100 vereadores e deputados estaduais ficaram sabendo como essa secretaria, coordenada atualmente pelo deputado Chico Floresta, pretende contribuir para que a área ambiental tenha posição de destaque no governo Lula.


O secretário executivo do MMA, Cláudio Langone, e o secretário de Recursos Hídricos, João Bosco Senra, também marcaram presença no debate das diversas questões ambientais.


Uma das propostas firmadas com o encontro foi a viabilização do Banco de Projetos de Lei Socioambientais. Com esse banco de dados, que disponibilizará todos os projetos de lei existentes na área socioambiental, a idéia é proporcionar uma maior interação entre os legisladores. “Esse cadastro servirá para auxiliar vereadores e deputados estaduais de todo Brasil sobre tudo que vem sendo proposto na área do meio ambiente. É um incentivo a mais para incluírem a questão ambiental como objeto de suas preocupações por um mundo sustentável”, explicou Chico Floresta.