Prêmio Von Martius

Câmara Alemã lança Prêmio Ambiental Von Martius

24 de março de 2004

      A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, com o patrocínio da Henkel e o apoio do Ministério da Cultura, lançou o Prêmio Ambiental von Martius, que será realizado anualmente com o objetivo de reconhecer o mérito de iniciativas de empresas, do poder público, de indivíduos e da sociedade civil que promovem o desenvolvimento econômico… Ver artigo


      A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, com o patrocínio da Henkel e o apoio do Ministério da Cultura, lançou o Prêmio Ambiental von Martius, que será realizado anualmente com o objetivo de reconhecer o mérito de iniciativas de empresas, do poder público, de indivíduos e da sociedade civil que promovem o desenvolvimento econômico com respeito ambiental.


Esse prêmio reitera a contribuição da cultura alemã à formação e desenvolvimento do Brasil no ano em que o país comemora 500 anos de descobrimento e, simbolicamente, homenageia o emérito pesquisador alemão Karl Friedrich von Martius, cujo trabalho contribuiu grandemente para o conhecimento e valorização dos ambientes natural e cultural brasileiros. 


Podem concorrer ao Prêmio Ambiental von Martius os projetos já concluídos ou em realização de empresas, instituições públicas ou privadas, indivíduos, ou organizações não governamentais sediadas no Brasil, associadas ou não às Câmaras Brasil-Alemanha. 


Os projetos poderão ser inscritos em três categorias, de acordo com os seguintes objetivos: 


1) Humanidade – Desenvolvimento do Ser Humano, como programas de divulgação e educação ambiental; 


2) Tecnologia – desenvolvimento de tecnologias ambientalmente positivas como projetos de melhorias no processo produtivo e desenvolvimento de produtos; 


3) Natureza – preservação e conservação do meio natural, como projetos de pesquisa científica e valorização dos princípios de conservação e preservação de fauna e flora. 


Inscrições


As inscrições poderão ser feitas entre 20 de junho e 30 de agosto de 2000.


Os trabalhos, escolhidos por uma comissão julgadora constituída por especialistas na área ambiental, serão conhecidos, em âmbito internacional, na primeira semana de outubro durante a Expo 2000 em Hannover, Alemanha. A entrega do troféu será feita durante evento especial, na terceira semana de outubro, em São Paulo. 


 


   Veja o regulamento do prêmio Von Martius   


Mais informações: 
http://www.ahkbrasil.com
premiovonmartius@uol.com.br
Fone/fax (11) 5092-6473 


Von Martius, o Cidadão Espiritual do Mundo


Silvestre Gorgulho


Carl Friedrich Philipp von Martius, natural da Bavária, é o que podemos chamar de homem dos sete instrumentos. Médico, artista, botânico e etnólogo, Von Martius escreveu poesias, era um notável escritor de lugares e ainda tocava violino. Na edição 41, de maio de 94, a Folha do Meio fez matéria de capa com Von Martius, por ocasião dos 200 anos de seu nascimento. A primeira frase da jornalista Simone Silva Jardim dava bem o clima do deslumbramento dos botânicos europeus quando chegavam ao Brasil: “A biodiversidade brasileira atordoa o homem comum, mas seu impacto pode ser ainda mais impressionante sobre os estudiosos, particularmente aqueles interessados em revelações sem limites”.


Von Martius e o zoólogo Johans Baptist von Spix vieram para o Brasil na comitiva que trouxe a princesa Leopoldina, para casar-se com o futuro Imperador D. Pedro I. Esses dois jovens foram encarregados pelo rei da Bavária, Maximiliano José, um grande admirador das ciências naturais, de fazer um levantamento o mais completo possível da natureza tropical. De 1817 a 1820, Martius e Spix percorreram juntos as regiões do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Pernambuco, Piauí, Pará e Amazonas. Eles percorreram quase todos os ecossistemas brasileiros: Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga e Floresta Amazônica. Faltou conhecer os Campos do Sul e o Pantanal.


Flora Brasiliensis




  • De volta à Bavária, Von Martius trabalhou 28 anos na maior das obras até hoje publicada sobre a flora de um país: a Flora Brasiliensis, composta de 40 volumes. 



  • Martius morreu aos 74 anos, sem terminar a obra, que foi concluída por uma equipe de 65 cientistas, coordenada por August Wilhelm Gichler e Ignaz Urban, em 1906.



  • A obra tem 20.773 páginas e contem 6.246 desenhos de plantas, além da descrição de outras 22.767 de espécies brasileiras.



  • Para sentir a magnitude do trabalho, é bom saber que o suporte financeiro foi dado por Fernando I, Imperador da Áustria; Luiz I, Rei da Bavária; e D. Pedro II, Imperador do Brasil. 



  • A verdade é que o Brasil parece desconhecer o valor dessa obra, caso contrário teria divulgado melhor esse trabalho, até para torná-lo disponível aos estudiosos e mais conhecido pelos brasileiros de modo geral.



  • Em boa hora a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha cria o Prêmio Ambiental von Martius, com o apoio do Ministério da Cultura. No passado, precisou de três países para produzir a obra. E hoje, com tantas tecnologias, mais condições financeiras, não seria mais fácil apenas reproduzir a obra para distribuí-la nas bibliotecas e centros de ensino? Imagine que hoje, no mundo, deve ter apenas umas 25 peças do livro e a última edição é de 1900.